Xenobióticos. O perigo oculto nos alimentos.

O nome já assusta! Xeno quer dizer estranho e biótico à vida. Xenobióticos, classificação que se dá a um conjunto de substâncias estranhas à composição original do alimento e vários produtos químicos. Ex.: medicamentos diversos, antibióticos, aditivos químicos de certas embalagens dos alimentos (Bisfenol A e outros), conservantes, corantes, praguicidas (agrotóxicos dos alimentos), metais pesados etc. A lista é grande!

Animais tratados com medicamentos (antibióticos e hormônios) e alimentos cultivados com agrotóxicos podem conter resíduos de xenobióticos. Eles podem se ligar a sítios celulares, normalmente ocupados por hormônios, causando efeitos neurotóxicos, imunotóxicos, toxicidade para fígado e rins e comportamentais nos seres humanos. Fator para pré-disposição de câncer é outro ponto importante a ser considerado. Podem afetar o sistema nervoso central de crianças e produzir alterações irreversíveis no seu desenvolvimento. As crianças e idosos são mais vulneráveis à ação dessa substância.

Conheça algumas substâncias XENOBIÓTICAS:

– PRAGUICIDAS: contaminação pela manipulação do produto por trabalhadores. O ambiente é contaminado pela dispersão desses produtos para o solo, lençóis freáticos e atmosfera. A população pode ser afetada pelo consumo de água, frutas, verduras, legumes, carne, ovos, leite e derivados contaminados.

– METAIS PESADOS: a intoxicação crônica por estes metais tem efeito principalmente no sistema nervoso central e no fígado.
– o CHUMBO se acumula no organismo, ocasionando alterações hematológicas e no sistema nervoso central e periférico, levando à hiperatividade e podendo interferir na absorção de cálcio, ferro e cobre. Esses resíduos são encontrados na fumaça de carros e de cigarros, em alguns cosméticos e dentifrícios, alguns ENLATADOS e praguicidas.
– ALUMÍNIO pode ser consumido pela utilização de utensílios de alumínio, como latas, panelas e embalagens de alumínio. A intoxicação está associada a distúrbios de aprendizado, hiperatividade e mais recentemente tem sido associada ao desenvolvimento da doença de Alzheimer.
– O CÁDMIO é encontrado em praguicidas, na fumaça do cigarro e em alguns aditivos alimentares.

– ADITIVOS ALIMENTARES: são ingredientes adicionados aos alimentos com o objetivo de modificar suas características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais durante a fabricação.
– Os NITRITOS utilizados como conservantes nas carnes têm a finalidade de intensificar o tom avermelhado ou a ação bacteriostática, sendo danosos à saúde.
– A TARTRAZINA, um corante relacionado a reações alérgicas. É utilizada em vários alimentos e medicamentos. Outros corantes, como a benzidina e o laranja B, são associados ao desenvolvimento de câncer de bexiga. Os corantes e conservantes artificiais estão presentes na maioria dos produtos industrializados. Os PIORES ADOÇANTES artificiais (aspartame, ciclamato, sacarina) estão presentes na maioria dos produtos light e diet, como sucos, refrigerantes, balas, iogurtes, pães e outros.

DICAS para reduzir a ingestão de xenobióticos. EVITAR:

– Consumir produtos (alimentos e água) de procedência duvidosa quanto ao uso de praguicidas;
– Consumir produtos contendo aditivos, principalmente corantes, conservantes e adoçantes artificiais;
– Guardar alimentos gordurosos em potes plásticos (a base de Bisfenol A);
– Aquecer alimentos em potes plásticos (recipientes comuns) no micro-ondas – Tomar bebidas quentes em copos plásticos;
– Envolver frutas (principalmente) ácidas em papel-alumínio.

Fonte: Manual de Orientação – Departamento de Nutrologia – Sociedade Brasileira de Pediatria. 3ª Edição. 2012