Saúde do coração e qualidade de vida.

O Instituto de Melhoria em Saúde, IHI (Institute for Healthcare Improvement) desde 2008 vem insistindo que a melhoria em saúde deve se pautar no Triple Aim (Triplo objetivo): Saúde populacional, experiência do paciente e custo per capta.

Desmembrando a Saúde populacional, podemos destacar as novas regras e pontos de cuidado:
1- Idade, sexo e hereditariedade;
2- O paciente e suas interações: familiares, no trabalho e as interações sociais;
3- Estilo de vida: se pratica atividade física, se fuma, usa álcool de maneira excessiva, se mantém dieta equilibrada, controle do estresse, espiritualidade/meditação
4- Interação ambiental: ambiente poluído, consumo de alimentos processados/contaminados;
5- Por fim, operacionalização do cuidado.

Viemos assim destacar a melhoria da qualidade de vida obtida com pequenas, mas significativas interferências feitas nas consultas cardiológicas sejam no Consultório ou em sessões de Reabilitação Cardiovascular.

Elegemos o paciente como o agente direto da sua melhoria e o responsabilizamos enquanto agente transformador na construção da saúde. O apoiamos e nos colocamos disponíveis na parceria desta construção.

Na Reabilitação, tal processo torna-se visível rapidamente, por estarmos em contato mais intenso com nossos pacientes.

Eles chegam assustados com o evento motivador da Reabilitação. Fazemos um trabalho de acolhimento, e promovemos a visão de novas perspectivas de vida e de melhorias extremamente possíveis e já desacreditadas por eles.

É realmente incrível a melhoria social e psicológica deles. Melhoria nas relações familiares e no trabalho. É muito importante estimular o paciente a cuidar muito bem “do filho(a) dos seus pais”, já que eles desejam é que valorizemos muito bem nós mesmos!

Isto também é saúde do coração, nosso auto amor expresso também no auto cuidado.

Por Dra. Amanda Pereira – Cardiologista e Médica do Esporte.