Gravidez, puerpério e atividade física: Os benefícios da prática de atividade física neste período

Várias mulheres e seus maridos já nos questionaram sobre a possibilidade da manutenção ou até o início da atividade física na gestação e no puerpério. Trata-se de um período de intensas modificações no corpo feminino, no aspecto psicológico e imagem corporal. Existe uma série de adaptações, principalmente do Sistema Cardiovascular, já que, faz se necessário um aumento da sobrecarga no coração para compensar o fluxo sanguíneo para o bebê.

Embora seja um momento muito especial na vida da mulher, pela realização do grande sonho da maternidade, de poder dar continuidade ao amor que recebeu de seus pais, existe grande sobrecarga psicológica, pelo surgimento de nova atribuição: de cuidar de uma vidinha prestes a chegar ou recém nascida. Para tamanhas adaptações, a mulher necessita de estar com uma boa saúde tanto física, mental e espiritual, segundo a OMS.

A prática da atividade física na gestação apresenta inúmeros benefícios, além de prevenir doenças. Artigos de 2009 a 2016, mostram uma tendência mundial ao incentivo da prática de exercícios leves a moderados neste período e para as praticavam de forma vigorosa, que mantenham, desde que, seja sob orientação médica. Foi observada a melhora do fluxo sanguíneo da mamãe para o bebê, pelo aumento da produção de um vasodilatador natural, resultando aumento do peso dos recém nascidos e melhora do condicionamento físico.

Algumas contraindicações à atividade física são: sangramento uterino por qualquer causa, placentação baixa, trabalho de parto pré termo, retardo no crescimento uterino, sinais de insuficiência placentária, rotura prematura de membranas e incompetência ístmo cervical.

Sou corredora de maratona, sou ciclista: devo continuar com minhas atividades? E em qual nível? O de antes da gestação?

Sim. Se estiver tudo bem com sua saúde e do bebê, além de acompanhamento profissional adequado e talvez adaptações para: o tipo de esporte, para o momento da gestação, o tempo de treino. Por exemplo: uma gestante poderia trocar o ciclismo de rua pela bike in door.

Quais exercícios de musculação deveria evitar?

Há alguns exercícios que seriam interessantes serem substituídos, por exemplo, o abdominal clássico, pelo abdominal isométrico, dentre outras adaptações possíveis.

O período puerperal estrito, que vai até as seis semanas pós parto e o período de lactância que seria até um ano do parto ou até durar a amamentação também é um período que suscita muitas dúvidas, principalmente em relação à produção do leite.

A mulher que esta amamentando pode praticar atividade física sem interferir na qualidade ou na quantidade do leite, desde que além do treino, tenha uma dieta balanceada e ingestão de líquidos adequados. É importante destacar que a mulher deveria aguardar 6 semanas pelo menos, para que haja uma recuperação do parto, e que dependendo se, parto normal ou cesáreo, aguardaria um pouco mais.

A OMS recomenda a prática de 150 min semanais, e no caso das gestantes seguir as recomendações de cada país. As modalidades aeróbicas recomendadas, que independem da via de parto são: caminhada, corrida leve a moderada, além de uma distribuição semanal que permita um limite de no mínimo 10 minutos e no máximo 75 minutos ao dia. Quanto às atividades de reforço muscular, e alongamentos, pelo menos 2 a 3 vezes semanais.
Às mulheres que pretendem iniciar as atividades físicas, devem iniciar de forma gradual até se atingir um nível de treinamento seguro, a partir de avaliação prévia. As dificuldades à pratica de atividade desportiva neste período são desafiadoras, tais como: dividir a atenção do esposo e/ou filho(s), a falta de tempos, trabalho fora, as responsabilidades domésticas, o esgotamento físico no caso da amamentação e cuidados ao recém nascido, além das dores remanescentes do parto e/ou do peso da “barriga”.

O que nos norteará na persistência e disciplina no treinamento é a certeza, de que, se estivermos bem, teremos uma otimização dos cuidados ao nossos filhos e que no caso da gestante, dependem estritamente da nossa saúde.

Diante de tais esclarecimentos, convidamos todas as futuras mamães e lactantes à pratica da atividade física, de forma segura e orientada e parabenizamos, todas as mulheres que estão dispostas a se cuidarem!

Por Dra. Amanda Santos Pereira – Cardiologia/Medicina Intensiva/Medicina do Exercício e do Esporte.