Dores Musculares

Quais são as causas e os tratamentos?

A síndrome dolorosa miofascial, popularmente abrangida no termo dor muscular, é a dor crônica mais frequente. Praticamente todos nós apresentaremos quadro de dor muscular algum período da vida. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas é mais frequente na lombar, no pescoço, nas costas, ombro e nas nádegas. Entre os músculos mais atingidos estão o trapézio, elevador da escápula, glúteos, peitoral, deltóide, posteriores do pescoço, entre outros. A maioria dos pacientes com dor crônica tem dor miofascial, seja isolada ou associada a outras síndromes dolorosas.

Características:

Caracteriza-se por distúrbio muscular localizado associado à presença de pontos de pressão dolorosos (pontos-gatilho) e Dor referida, que pode ser em área distante do ponto. O músculo acometido apresenta-se tenso, dolorido e com limitação de movimento. Em atletas pode ocorrer limitação da performance. Como exemplo de dor referida, dores de cabeça são frequentemente causadas pela presença de pontos-gatilho na musculatura do pescoço, e dores na região posterior da coxa podem advir de pontos nos músculos glúteos.

Pontos gatilho em branco e, em verde, área de dor referida relacionada ao ponto

Mecanismo de dor:

A dor ocorre porque esses microtraumas ou sobrecarga levam a um estresse do músculo com liberação de substâncias que provocam inflamação e dor. Como resultado, temos um músculo edemaciado (“inchado”), tenso e com limitação do movimento. Geralmente o paciente mantém uma posição anti-dor, o que perpetua o mecanismo de contratura e propicia a formação de outros pontos-gatilho. A dor, se não identificada e tratada, pode evoluir para dor crônica sendo seu tratamento mais difícil e complexo.

As principais causas de dor muscular são os traumas (“pancadas”) e a sobrecarga muscular, muito comum em atletas. Microtraumatismos ou sobrecargas em pontos restritos de um músculo formam os pontos-gatilho. Posições viciosas no cotidiano, manuseio de cargas pesadas e atividade física sem orientação são possíveis causas. Imobilização, estresse, distúrbio do sono e falta de nutrientes também são fatores contribuintes. Pode ocorrer, também, associada a outras síndromes dolorosas como a hérnia de disco, acompanhar artropatias de ombro, quadril, dentre outras. Nos pacientes com hérnia de disco, pode ser a principal causa de dor, muitas vezes não reconhecida em pronto-atendimentos.

O tratamento envolve história clínica e exame físico detalhados. Em caso de contratura incapacitante, como nos torcicolos ou dor lombar aguda, os pontos-gatilho podem ser desfeitos através de infiltrações locais, com alívio imediato dos sintomas e restauração da amplitude dos movimentos. Em atletas de ponta, a infiltração e liberação desses pontos-gatilho pode levar à diminuição da banda de tensão, aumento da amplitude de movimentos e ganho significativo de performance.

O tratamento medicamento com analgésicos, antinflamatórios e relaxantes musculares é individualizado e depende do comprometimento muscular, do grau de limitação das atividades cotidianas e nível de Dor do paciente. Pode ser associado a outras técnicas. Fisioterapia e outros métodos de reabilitação têm indicações em alguns casos. Muitas vezes, apenas uma consulta esclarecedora e percepção da causa pelo paciente já são suficientes para um tratamento satisfatório e resolutivo.

Por Dr. Carlos Trindade, médico cínico da dor