COMO A PSICOLOGIA PODE CONTRIBUIR PARA O EMAGRECIMENTO?

A Psicologia Clínica é a área técnica que avalia e intervém nos processos mentais e suas manifestações comportamentais sempre buscando bem estar e uma melhor qualidade de vida. É realizado através da psicoterapia que é uma intervenção técnica e, pode ser direcionada à diminuição de estresse, resistência a processos viciosos, cura ou diminuição de sofrimento, esporte de rendimento, emagrecimento e outros.

Para o emagrecimento a Psicologia tem muito a contribuir com os profissionais da área médico-nutricional. Ela possibilita compreender o porquê um indivíduo em dieta ter conhecimento do que fazer, mas não conseguir fazer o que deveria. Emagrecer pressupõe mudar pensamentos, hábitos e obter novos comportamentos. Mas mudar implica para alguns indivíduos em processos de ansiedade, medo, angústia, raiva, tristeza e outros.

Alguns dos problemas emocionais que podem levar ao aumento de peso ou à dificuldade de perdê-lo são:
• Ansiedade: fator principal para interferir no sucesso de uma dieta. Pode apresentar-se sob a forma de pânico, fobia social, ansiedade generalizada e etc.
• Compulsão alimentar: indivíduos que alimentam não por fome ou prazer, mas por ansiedade.
• Depressão: indivíduos que estão deprimidos e podem apresentar alteração no comportamento alimentar.
• Problemas de relacionamento e dificuldades conjugais ou afetivas: indivíduos com timidez excessiva ou para evitar relacionamentos.
• Stress: tem influência sobre o peso corporal, seja pelo aumento do cortisol ou pelo aumento da ingestão de alimento.

É fato que o simples ato de alimentar tem a função ou um sentido de tamponar processos emocionais. Portanto, o fato de iniciar uma dieta, de restringir a quantidade do que pode ser ingerido é ponto desencadeador de acesso às emoções que o indivíduo evita conscientemente ou não.

O acompanhamento psicológico irá apresentar ao indivíduo uma nova estratégia de sobrevivência emocional que não seja o alimento. A descoberta de que, muitas vezes, o comportamento alimentar é inadequado devido ao alimento estar associado puramente ao prazer ou à gratificação imediata. Ele é utilizado para resolver problemas, mascarar situações desagradáveis e, portanto não desempenha sua função real.

Uma linha de psicoterapia que tem apresentado resultados significativos no tratamento da obesidade é a Terapia Cognitiva Comportamental desenvolvida pelo psicólogo Aaron Beck. Essa terapia envolve um conjunto de técnicas e estratégias terapêuticas com a finalidade de reinterpretar os elementos que geram emoção negativa e mudar padrões de pensamento.

É uma abordagem estruturada, orientada para o presente, diretiva, ativa e breve, direcionada a resolução de problemas atuais e a modificar os pensamentos e comportamentos disfuncionais. Em um pequeno tempo é possível modificar um pensamento que, consequentemente, modificará uma cadeia de comportamentos e pensamentos que interferem no processo de emagrecimento.

A Psicologia fundamentada na abordagem Cognitiva Comportamental poderá contribuir muito para a melhora dos processos emocionais vinculados ao emagrecimento trabalhando com o pensamento, com o comportamento através da aprendizagem.

Por Vanessa Guilherme de Souza
Psicóloga