BISFENOL A. O perigo oculto nas embalagens dos alimentos.

O Bisfenol A (BPA) é uma resina epóxi utilizada na fabricação de produtos à base de policarbonato, substância presente em diversos produtos plásticos. Ele também faz parte de vários revestimentos internos, como resinas epóxi, das latas que armazenam produtos alimentares, principalmente, para evitar o contato do metal com o alimento e ferrugem. Ele pode passar dos recipientes para os alimentos com, apenas, variações de temperatura ou danos na embalagem. Alimentos líquidos ou gordurosos, em contato com essas embalagens, aumentam a migração de BPA. O maior perigo dessa substância é ser, possivelmente, um desregulador endócrino. Alguns estudos sugerem que uma vez no corpo ele se assemelha com o estrógeno (hormônio feminino) e com o hormônio da tireoide. Isso pode levar a um comprometimento de várias glândulas e, consequentemente, alterações hormonais diversas. A ação no feto e em crianças é mais grave, por estarem em desenvolvimento, mas em adultos as consequências podem ser negativas. Segundo a Dra. Tânia Aparecida Sanchez Bachega e Dra. Ângela Maria Spinola e Castro (membros da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), os efeitos causados pelo BPA, mais aceitos e pesquisados, são vários como infertilidade em homens, desenvolvimento de obesidade, modificações no desenvolvimento de órgãos sexuais internos, síndrome de ovário policístico em mulheres, endometriose e câncer. Pearce e Braverman (2009) também compartilham que tal substância pode afetar a tireoide. De acordo com a posição da OMS o assunto é polêmico e controverso por não ter dados concretos e seguros sobre quantidades e tempo de consumo. Recomenda-se novas pesquisas para averiguar, com segurança, o risco para os indivíduos. (Organização Mundial de Saúde, 2011). Xiong e outros (2016) revelam que o BPA pode desencadear câncer por aumentar a sinalização de IL-6 e NF-kB (ambas marcadores de inflamação), sugerindo que deve ser dada mais atenção sobre o assunto aos potencias riscos para a saúde.

Com tantas incertezas a respeito da substância, é bom se precaver. Siga algumas dicas simples:

– Evite plásticos comuns no microondas para aquecer / descongelar alimentos ou armazenar nestes recipientes no Freezer. Neste caso a liberação da substância para o alimento é mais intensa. Na geladeira o impacto é menor, mas procure evitar. As melhores opções são de vidro, inox, porcelana ou de plástico livre de BPA.

– Nem todos os produtos plásticos apresentam BPA. Observe o símbolo de reciclagem. Evite embalagens que apresentam os números 3 e 7 no símbolo de reciclagem. Eles indicam que a embalagem contém ou pode conter o BPA em sua composição. O número 6 contém estireno que, também, é uma substância toxica. Caso não tenham essa informações descarte o recipiente.

– Diminua ou exclua alimentos enlatados (principalmente amassadas), pois o BPA está presente no revestimento interno das latas.

– Evite usar recipientes plásticos (comuns) arranhados ou avariados.

– O BPA está presente, principalmente, na maioria dos plásticos mais duros e transparentes.

Conclusão, Como o assunto ainda é controverso e pesquisas mais recentes apontam que a presença de BPA no corpo pode gerar distúrbios metabólicos, é coerente pensar em mudanças de hábito. Pequenas ações podem melhorar o quadro do dia a dia diminuindo, significativamente, o consumo dessa substância.

Xiong S, Wang Y, Li H, Zhang X. Low Dose of Bisphenol A Activates NF-κB/IL-6 Signals to Increase Malignancy of Neuroblastoma Cells. Cell Mol Neurobiol. 2016 Nov 19.
Pearce EN, Braverman LE. Environmental pollutants and the thyroid. Best Pract Res Clin Endocrinol Metab. 2009 Dec;23(6):801-13. doi: 10.1016/j.beem.2009.06.003.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Toxicological and health aspects of bisphenol A. Disponível em http://www.who.int/foodsafety/publications/bisphenol-a/en/
SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA. Bisfenol A. Disponível em http://www.endocrino.org.br/bisfenol/
AGENCIA NACIONAL DE VIGILANCIA SANITÁRIA. Bisfenol A. Disponível em http://portal.anvisa.gov.br/alimentos/embalagens/bisfenol-a

Autor / Fonte:Magno Luiz – Nutricionista Esportivo e Educador Físico