Dor no pescoço

A cervicalgia (Dor no pescoço) é uma síndrome muito frequente responsável por dores importantes e incapacitantes, com alteração no sono, humor e produtividade no trabalho. Pode acometer a região do pescoço com irradiação para o braço, o que denominamos de cervicobraquialgia.

A dor e a limitação podem resultar de alterações nas vértebras do pescoço, músculos, do disco intervertebral, da articulações e/ou ligamentos. Essas alterações podem ser causadas por traumatismos, inflamações, fatores posturais, ergonômicos e sobrecarga dos membros superiores. Em algumas raras vezes, pode ser associada à presença de tumores na região.

Causas:

Inúmeras são as causas de cervicalgia e a cervicobraquialgia:
1-Alterações musculares: Torcicolos, trigger points musculares (trapézio, principalmente), postura inadequada, fraqueza muscular, trauma e sobrecarga.
2-Distúrbios da colunacervical: hérniadedisco, estenoseEspinhal, espondilose e espondilolistese.
3-Alterações reumatológicas: artrite reumatóide, espondilite anquilosante.
4-Infecções: Osteomielite, meningite, herpes-zóster.
5-Alterações neurológicas: neuralgia pós-herpética.
6-Dor referida: angina e infarto do miocárdio, alterações na vesícula e no esôfago.
7: Tumores: metástase, osteocondroma, linfoma, mieloma múltiplo.

Diagnóstico:

A avaliação da integridade anatômica da região, história clínica e exame físico são as principais ferramentas que o Clinico da Dor utiliza no diagnóstico das cervicalgias e cervicobraquialgias. Atletas e praticantes de atividade física podem apresentar dores distintas da população comum. Há diferenças, também, quanto ao sexo e à predisposição familiar. A consulta do paciente com dores no pescoço envolve uma avaliação integral do indivíduo, tanto anatômica, quanto neurológica e busca identificar, além da causa, o tipo e característica da dor que acomete o paciente, seja de origem muscular, nervosa ou inflamatória, a fim de proporcionar tratamento adequado e individualizado.

Tratamento:

O tratamento é direcionado para o alívio das causas mecânicas e redução do processo inflamatório, seja através do uso de medicamentos, tanto por via oral, quanto por via transdérmica, infiltrações, e associação de técnicas variadas de manipulação. Antinflamatórios, que são usados indiscriminadamente por atletas, resolvem pouco ou tem nenhuma ação em alguns tipos de dores no pescoço. O agulhamento, por exemplo, pode resolver prontamente um torcicolo agudo, sem necessitar de outra intervenção. Pacientes intolerantes à medicação oral, podem usar medicação tópica, através de #pomadas ou patchs com composição orientada pelo Clínico da Dor . Por isso, a identificação da causa e exame físico é importante para distinção do tipo de dor e adequação do tratamento.

Por Dr. Carlos Trindade, nosso Clínico da Dor.